O Governo do Amazonas é representado pelos titulares dos órgãos de meio ambiente do Estado na 22ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas – COP22, em Marrakesh, no Marrocos, que ocorre entre os dias 7 e 14 de novembro. O evento segue até o dia 18. Na ocasião, serão abordas as experiências do Amazonas com políticas públicas de desenvolvimento sustentável, tais como a Lei de Serviços Ambientais, lançada no final de 2016, e a implantação da Matriz Econômica Ambiental (MEA), lançada em 2016.

A delegação do Amazonas será composta pela diretora-presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Ana Aleixo; pelo secretário de Estado de Meio Ambiente (Sema), Antônio Stroski; pelo secretário Executivo de Meio Ambiente, Luís Henrique Piva; o presidente da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Virgílio Viana; e o presidente da ONG Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam), Mariano Cemano, além da analista ambiental Christina Fischer.

Os representantes estão indo com a missão de fazer articulação, trazer parcerias, buscar recursos e participar de diversas reuniões dentro da COP22, a fim de apresentar as políticas públicas adotadas pelo Amazonas.

Ana Aleixo vai falar durante a conferência “Avanços e perspectivas para implementação de programas subnacionais de REDD+ na Amazônia Brasileira” sobre a experiência do Estado do Amazonas para reduzir o desmatamento, a partir de políticas públicas para conservar a floresta, do ponto de vista do controle e licenciamento ambiental. O evento discutirá programas e soluções inovadoras em diferentes níveis da Amazônia brasileira, buscando alcançar o bem-estar, a conservação da floresta e a resiliência para os povos tradicionais e indígenas.

Durante a COP22, o Governo do Amazonas também vai registrar em plataforma pública o projeto redução de 400 mil toneladas de emissões de carbono (tCO2) na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Juma, no Amazonas, implementado pela rede de hotéis Marriott International, juntamente com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), cujo certificado foi entregue em agosto, durante a Reunião Anual da Força Tarefa dos Governadores sobre o Clima e Florestas (GCF), em Guadalajara, no México.

Matriz Econômica Ambiental
A matriz econômica ambiental integra economicamente o espaço territorial do Estado, a partir dos polos: petróleo e gás, naval, fertilizantes, minerais, turismo, recursos naturais (pescado, madeira, fruticultura), fármacos, cosméticos e de alimentos.

A COP22 vai por em discussão entre vários países o que está sendo feito para combater as mudanças climáticas e que caminho devemos adotar para salvar o planeta.

FOTOS: JOSÉ NARBAES/SEMA

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comments are closed.

Leia mais

Interdição federal e Segurança Pública do Amazonas na mira da ALEAM

Crítica à intervenção federal no Rio de Janeiro, assim como a falta de segurança pública e…