O presidente da Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Adjuto Afonso (PDT), explicou em entrevista à TV Aleam na terça-feira, 20, o processo de avaliação das 736 emendas parlamentares, sendo impositivas e convencionais, apresentadas pelos demais deputados e avaliadas pela Comissão, que seguiram para votação em plenário, sendo todas aprovadas.

“Aprovamos na Comissão 729 emendas impositivas parlamentares e 3 emendas que foram oriundas dos deputados Cabo Maciel (PR), Platiny Soares (DEM) e da deputada Alessandra Campêlo (PMDB). Tivemos o cuidado de identificar cada município, cada órgão que os deputados destinaram suas emendas. Inserimos também uma emenda do governo depois que o orçamento estava nesta Casa em torno de R$ 70 milhões, recurso da repatriação que vem para o Estado, que a gente espera até abril. Esse recurso vai servir para pagar o escalonamento da Polícia Civil, Procuradoria Geral do Estado (PGE) e da Universidade do Estado do Amazonas (UEA)”, explicou o deputado Adjuto.

Em outras duas emendas foram contempladas a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, em valor equivalente R$ 22 milhões. “Eu não poderia deixar de falar sobre as emendas aprovadas. É a primeira vez que aprovamos esse número de emendas impositivas e que esse processo acontece nesta Casa. Tivemos a oportunidade de ouvir a sociedade, conversar com lideranças do interior, para fazer o direcionamento, isso é um grande avanço”, ressaltou Adjuto Afonso em seu pronunciamento na tribuna da Casa Legislativa.

No total, foram apresentadas à Comissão de Finanças 736 emendas pelos 24 parlamentares, que direcionaram recursos que contemplam tanto a capital quanto o interior, com prioridades para as áreas de saúde e educação. As emendas seguiram para votação em plenário e foram aprovadas pelos demais parlamentares da Casa.

Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Amazonas
Comentários estão fechados.

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…