Moa tinha sido condenado a 12 anos de prisão por morte de suposto traficante em Manaus.

Manaus. O Ex- Policial Militar Moacir Jorge Pessoa da Costa, o “Moa”, envolvido no caso Wallace Souza,  foi morto e esquartejado vivo na tarde deste domingo (1) em uma rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), situado no km 8 da BR-174, em Manaus. Segundo informações morte teria sido ocasionada por ele ser Ex-PM.

Foi negado a Moa o direito de recorrer em liberdade. Ele foi expulso da Polícia Militar, a decisão fez com que deixa-se a prisão militar onde cumpria prisão preventiva e foi levado a uma unidade prisional comum, apenas separado dos demais presos por ser um ex-policial militar.

De acordo com o MP-AM, em 2015 Conforme documentos do site do Tribunal de Justiça, Moa solicitou sua transferência para o CPE, por meio da assessoria jurídica do Compaj, após ele informar que estava recebendo constantes ameaças de morte por outros detentos. Ele destacou que os presos o ameaçavam por conta de ele ser ex-policial militar.

Baseado em informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), foi opinado a permanência do detento no Compaj é que esperar-se abrir uma vaga no CPE, fato este que não acorreu.

‘A prisão é considerada pelos polícias um sentença de morte, por que é comum em rebeliões os presos procurem primeiro os EX-PMs e executa-los de forma humilhante e desumana’. Finalizou um amigo de Moa.

Prisões

O ex-policial Moacir Jorge Pessoa da Costa, o ‘Moa’ ficou conhecido como sendo um dos delatares do caso ‘Wallace’, que culminou com a prisão do já falecido deputado Wallace Souza. Moa foi preso por envolvimentos com o tráfico de drogas e também por homicídios. Em maio deste ano, foi condenado há 12 anos de prisão pela morte do traficante Cleomir Pereira Bernadino, o Caçula, ocorrida em 2007.

De acordo com o site do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), ele respondia junto a 2ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes (VECUTE).

Rebelião

A rebelião continua neste momento com pelo menos 12 reféns, entre presos e agentes carcerários, também há vários mortos. A informação é da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Conforme a pasta, trata-se de uma possível briga entre facções. Fugas também foram registradas.

NOTA – Sistema Prisional

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) comunica que todas as informações sobre as ocorrências nas unidades prisionais, registradas da tarde e noite deste domingo (1 de janeiro), serão  dadas a partir do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

O Secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, está  no CICC e irá dar esclarecimentos no decorrer da noite.

Até o momento, apenas o Compaj se encontra com alterações. A situação está sendo monitorada e todas as providências estão sendo adotadas.

Fonte: G1, D24am

Por: Jornal de Humaitá

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comments are closed.

Leia mais

Interdição federal e Segurança Pública do Amazonas na mira da ALEAM

Crítica à intervenção federal no Rio de Janeiro, assim como a falta de segurança pública e…