Na noite da última quinta-feira (2), o tenente-coronel Álvaro Cavalcante assumiu a liderança do Comando de Policiamento Especial (CPE), em substituição do tenente-coronel Cleitman Rabelo Coelho, que hoje ocupa o cargo de secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

A passagem de comando aconteceu durante solenidade realizada no quartel do comando de policiamento especializado (localizado no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste), com a presença do comandante-geral da PM, coronel David Brandão, e diversas autoridades militares e civis, oficiais e praças da Corporação.

“A movimentação na vida militar é algo normal e prevista no regulamento. Então precisamos dar uma nova oxigenação na Polícia Militar. Por isso, nós estamos efetuando a mudança dos grandes quatro comandos da PM”, explicou Brandão.

Durante a cerimônia, o novo comandante do CPE agradeceu a confiança e revelou algumas propostas no comando da unidade militar. “Eu tenho 27 anos de polícia, 15 anos que estou dentro desta Casa. É uma honra muito grande voltar para cá. Nós vamos intensificar o serviço com treinamento, especialização e principalmente dando o melhor conforto para que tropa possa desenvolver seu trabalho nas ruas”, revelou Cavalcante.

Após dois anos e dois meses no comando do CPE, o tenente-coronel Cleitman relembrou os trabalhos realizados. “Aqui nós realizamos diversas missões, como reintegração de posses, rebelião de presos, missão no interior do estado, tudo isso com essa troca que nos fez crescer muito. É com orgulho que eu deixo essa tropa que eu tanto amo. Só gostaria de agradecer ao comando da Policia Militar e ao Governo do Estado pela confiança, ao passar a nova missão que é a Secretaria de Administração Penitenciária. Nós como bons soldados nunca dizemos não a uma missão. A missão foi dada e a missão será cumprida”, afirmou.

FOTOS: BRUNO ZANARDO/SECOM

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comments are closed.

Leia mais

Interdição federal e Segurança Pública do Amazonas na mira da ALEAM

Crítica à intervenção federal no Rio de Janeiro, assim como a falta de segurança pública e…