A prefeitura de Porto Velho (RO) cumpriu na manhã desta quarta-feira (12) a decisão da procuradoria da república no Estado conforme Ofício de força de despacho com os números 295 e 246, a demolir os quiosques que existem no complexo ferroviário da Estrada de Ferro Madeira Mamoré na antiga e atual Vila Ferroviária. Na data de hoje dois imóveis foram destruídos, segundo a prefeitura os demais serão demolidos em breve.

Tais quiosques estavam servindo de abrigos para moradores de ruas e usuários de drogas da região. A área faz parte do complexo do patrimônio tombado e se arrasta há anos no esquecimento. A construção dos quiosques na vila foram realizadas de maneira irregular pela antiga administração, feita pelo ex-prefeito de Porto Velho Roberto Sobrinho (PT).

Para o vice-presidente da Associação dos Ferroviários da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (Assofermadmoré), George Telles de Menezes (Carioca), a obra realizada pela antiga gestão do PT jamais poderia ter sido construída em área tombada, por isso a atual gestão da prefeitura de Porto Velho cumpriu com o seu dever em ajudar a preservar o patrimônio em demolir os imóveis.

— Essa obra foi construída irregularmente pelo ex-prefeito de Porto Velho Roberto Sobrinho (PT) , feriram a legislação e a portaria 231/2007 do Patrimônio Histórico do Iphan Nacional. Tudo isso que nós vemos aqui foi um crime ambiental que fizeram, pois invadiram o sítio histórico — exclamou George Menezes.

Carioca alerta todos os órgãos envolvidos com zelo do complexo ferroviário, que respeitem a Portaria 231 e o decreto Lei 25/37 para que nada seja feito irregular novamente, pois só assim a rica e lendária história de todo o complexo da Estrada de Ferro Madeira Mamoré poderá ser revitalizada de forma correta — já basta a nossa EFMM passar por mãos incompetentes que não valorizaram o nosso patrimônio histórico.

Fonte: Assessoria

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Jornal de Humaitá

Leia mais

Ferroviários cobram do Iphan término de obra na ferrovia

Obra de gradeamento do complexo da estrada de ferro ainda não foi concluído O que era pra …