O novo sistema de bancadas individuais utilizado na hidroponia (cultivo protegido) tem facilitado a vida dos agricultores que trabalham com o plantio de alface no Amazonas. O método proporciona equilíbrio nutricional das plantas e maior controle de pragas e doenças. Essa tecnologia está sendo adotada por agricultores familiares da zona rural de Manaus, local de potencial na produção de alface hidropônica, que apresentou um crescimento de 22% no cultivo da hortaliça, no período de 2014 a 2016, conforme dados do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), órgão integrante do Sistema Sepror. 

De acordo com o técnico em agropecuária do Idam, Jorge Reis Monteiro, as vantagens das bancadas individuais são inúmeras e traz benefícios que refletem diretamente no bolso do agricultor. “Em um sistema de refrigeração tradicional utilizado na hidroponia, o agricultor gasta em torno de R$ 500. Já no novo sistema, o agricultor gastará em média R$ 200 por cada bancada e ainda diminui prejuízos com perdas de produção, uma vez que o controle de doenças no plantio é maior”, explicou.

O agricultor Newton Nogueira da Cruz, 60 anos, da AM-010, km 26, destaca que o sistema de bancadas ajudou agregar valor ao produto. “Hoje a qualidade da minha alface é visível. Elas não sofrem variação no tamanho, as raízes são mais fortes e o produto mais limpo e seguro para o consumidor. Além das facilidades no manejo da atividade, antes o pH da água era verificado todos os dias, hoje o procedimento é realizado a cada três dias pelo fato da variação ser menor”, explicou Newton.

Newton e a esposa Eliana Maria Sampaio Ibiapina da Cruz, 50 anos, trabalham há sete​​ anos com a atividade, que é a única fonte de renda da família. Atualmente eles produzem alfaces das variedades crespa, americana e roxa, além da dedicação ao cultivo de agrião, rúcula e salsinha. Com seis casas de vegetação, a produção de alface chega a 800 maços por semana, e a comercialização e feita diretamente ao consumidor nas feiras da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS) e Feirão da Sepror.

Bancadas individuais– No Amazonas, o sistema ainda é novidade para agricultores. Nas bancadas, o cultivo é diretamente em água e as plantas são colocadas em canaletas, onde circula a solução composta de água e nutrientes. O reservatório é padrão para todas as plantas considerando que são todas da mesma idade.

Nesse sistema, o ciclo vegetativo da planta não muda e o período de cultivo é de 40 dias. O grande diferencial é a economia na instalação do sistema hidráulico, plantas com raízes mais limpas e a certeza no controle de pragas e doenças.

Hidroponia – É uma técnica alternativa de plantio protegido. Em Manaus, o cultivo hidropônico foi introduzido na década de 90 por agricultores do ramal do Ipiranga. Apesar do alto custo inicial de implantação, o retorno econômico é bem mais rápido se comparado ao método tradicional, já que a hidroponia possibilita menor tempo entre um ciclo e outro, aumento na produção e facilidade na execução de tratos culturais.

A produção hidropônica no Amazonas em 2016, foi de 10,6 milhões de pés de alface, onde Manaus é o maior produtor com 8,8 milhões.

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em economia

Leia mais

Brasil conquista pela primeira vez prêmio no Forbes Travel Guide

Belmond Hotel das Cataratas, localizado Parque Nacional do Iguaçu é o primeiro da América …