Drogas foram apreendidas em operações policiais de combate ao tráfico

O Poder judiciário e o Ministério Publico do Amazonas acompanharam a incineração de pouco mais de 20 quilos de drogas (Art. 33º) e a destruição de diversos tipos de arma branca (Art.3º),  no final da tarde desta quarta-feira (17), em Lábrea (AM), no sul do Amazonas. Os entorpecentes eram pasta base de cocaína, crack e maconha, apreendidos nos últimos meses no município.

Poder Judiciário e Ministério publico de Lábrea
Poder Judiciário e Ministério Publico de Lábrea acompanha destruição de drogas. (Foto: José Rodrigues)

O ato aconteceu ás 17h30 na presença do ministério publico estadual, na presença do promotor Dr. Marcelo de Sales Martins e da Juíza da comarca de Lábrea Dra. Sabrina, em um local próximo da garagem da prefeitura.

Armas de fogo

A Dra. Sabrina disse a nossa redação que “Na semana passada foram encaminhadas para o 54º Bis (Batalhão de Infantaria de Selva) em Humaitá, a quantidade de 134 armas de fogo entre revólveres, espingardas e pistolas que estavam apreendidas no fórum de Lábrea, ao longo dos últimos meses sendo determinada a destruição. Também foi feito aqui no município a destruição de diversas armas brancas. Foi usado um rolo compressor para que fosse feito isso e em seguida o aterro em local adequado.”

Destruição de arma branca
Destruição de arma branca apreendidas pela polícia local. (Foto: José Rodrigues)

“O fórum não é um local adequado e além de ser insalubre, pois libera um odor. Sendo incinerados, não deixando voltar pra rua e não criando um local inadequado para os servidores.” Finalizou a Dra. Sabrina

O Promotor Dr. Marcelo de Sales Martins disse que “estamos cumprindo uma etapa imposta pela ‘lei de drogas’ quando obriga que depois de encerrados os processos, toda a droga apreendida deve ser incinerada no município de Lábrea, na presença do ministério público e poder judiciário e estamos fazendo isso no presente momento”.

O ato teve a mobilização do poder público municipal em parceria com o judiciário. O prefeito de Lábrea Gean Barros, disponibilizou o espaço e o equipamento através da secretaria de administração. De igual modo, a participação do procurador representando a OAB, considerando que a lei exige a presença dos órgão responsáveis.


Por: José Rodrigues-Lábrea

*Jornal de Humaitá – Com informações da assessoria.

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Lábrea

Leia mais

Interdição federal e Segurança Pública do Amazonas na mira da ALEAM

Crítica à intervenção federal no Rio de Janeiro, assim como a falta de segurança pública e…