A Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) registra de 3 a 4 casos de abusos, todos os dias. Os dados foram apresentados durante entrevista coletiva na Assembleia Legislativa (Aleam). Representantes de entidades estiveram presentes e falaram sobre prevenção, políticas públicas e a programação da Semana de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes deste ano.

O presidente da Frente Parlamentar de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes (Frenpac), deputado estadual Luiz Castro (Rede), reafirmou estar trabalhando por mais uma Delegacia Especializada, desta vez no Centro de Manaus.
“Falamos com o antigo governo do Estado e vamos reiterar o pedido agora com o governador interino David Almeida: a Depca atualmente está Lírio do Vale, o que é uma dificuldade para famílias que moram distante do bairro; já no Centro da cidade, o acesso é facilitado pela quantidade de transporte coletivo”, ressaltou o parlamentar.
Luiz Castro disse ainda que a Depca faz seu trabalho, mas os processos contra os violentadores demoram, e às vezes nem acontecem. “A punição de um abusador inibe a ação de outros, além de gerar um alerta à sociedade para esse tipo de violência”, salientou o deputado.
A data
A presidente do Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes (CVSCA), Graça Sales, explicou que Araceli Cabrera Crespo tinha 8 anos quando foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada, no dia 18 de maio de 1973. A morte da menina completa 44 anos esta semana e, até hoje, os crimes continuam impunes.
“No Amazonas, temos diversas ‘Aracelis’ porque muitos crimes ficam impunes, há pouca denúncia e apoio aos familiares. Por isso a imensa necessidade de convocarmos a sociedade: é preciso garantir a segurança e a dignidade de toda criança e adolescente”, reiterou.
A titular da Depca, Juliana Tuma, assinalou que maio é mês é emblemático, mas que deveria estar em voga constantemente. “Atendemos de 2 a 4 ‘Aracelis’ todos os dias, por isso a denúncia é extremamente importante. É necessário também entender que a proteção não começa na Delegacia, e sim em casa, na família, na sociedade. Não há nada mais hediondo que roubar a inocência de uma criança e adolescente”, afirmou.

Programação da Semana

A Irmã Eurides Oliveira, da rede Um grito pela vida, afirmou que a programação teve início no último dia 9, quando houve uma série de atividades explicando a importância da prevenção, em escolas da capital. “O trabalho também requer o protagonismo das próprias crianças e da juventude, além dos educadores”, afirmou.
Haverá um ato público na quinta-feira (18), que acontecerá a partir das 15h, na Praça do Congresso (Centro de Manaus). A manifestação ocorre devido ao 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi criada devido ao ‘caso Araceli’, ocorrido no Espírito Santo.
Na programação, realizada por diversas instituições que compõem o Comitê Estadual, também ocorrerá o III Seminário Intersetorial de Enfretamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O evento acontecerá nos dias 22 e 23 deste mês, a partir das 08h, na Aleam. A entrada é franca e os inscritos receberão certificado de horas complementares.
Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Amazonas

Deixe uma resposta

Verifique também

Filho ilustre de Humaitá é preso na 2º fase da operação Maus Caminhos

Manaus.  Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (13) a segunda fase da Operação Maus…