Em preparação para o 14º Intereclesial que acontecerá em janeiro de 2018, na cidade de Londrina, Paraná, as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) dos diversos regionais brasileiros da CNBB, reúnem-se para trabalhar a temática proposta para cada Intereclesial, o tema para 2018 é: “CEBs e os desafios do mundo urbano”, e o lema: “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo” (Ex 3,7).
A equipe de articuladores da Prelazia de Lábrea, Diocese de Humaitá e Arquidiocese de Porto Velho, debruçaram-se nesta tarde de sábado 15 de julho, no planejamento do evento e logística para Intereclesial da etapa regional, a realizar-se-á em Lábrea dias 15, 16 e 17 de setembro.

O articulador da Prelazia de Lábrea, Antônio Barreiro dos Santos, afirma que a Prelazia de Lábrea vem se preparando para este grande momento “é o momento de vivência de fé e de irmandade”, mas também de grandes desafios, pois está à frente de um encontro de magnitude como o que vai ocorrer em setembro, exige dedicação e muito planejamento, mas, o fator compensador é que as comunidades estão animadas, considerando que a Prelazia está também em missão permanente, preparando-se para as Santas Missões populares. Para Antônio, o grande desafio que a Prelazia de Lábrea enfrenta, está centrada no alto índice de criminalidade, prostituição decorrente da desestrutura familiar, deixando a igreja muitas vezes, impotente.

A articuladora do Regional Noroeste e representante da Arquidiocese de Porto Velho Neurimar Pereira da Silva, fez um balanço das realizações dos intereclesiais do Regional Noroeste (Sul do Amazonas, Rondônia e Acre) que a partir da realização da primeira ampliada nacional*, os trabalhos estão no processo de divulgação do tema e lema do 14º Intereclesial. Já foram realizados o primeiro Intereclesial, no Sul e Centro da Diocese de Guajará-Mirim, na cidade de São Miguel do Guaporé, Rondônia e o segundo Intereclesial que vai ocorrer no Sul do Amazonas com a diocese de Humaitá e Prelazia de Lábrea. Ocorrerão, ainda, encontros na sede de Guajará-Mirim, bem como, o esperado encontro que abre o Centenário da Diocese de Rio Branco, Acre de 20 a 22 de outubro, ainda, encontro da Arquidiocese de Porto Velho e encerrando com grande 14zinho (quatorzinho Regional) na última semana de outubro deste ano. Para Neurimar, o Intereclesial “é um grande Pentecoste, é um momento que a gente reúne todas as comunidades para festejar aquela preparação que a gente fez na comunidade”. Afirma ainda que “Comunidades Eclesiais de Base é igreja na base, é igreja que está junto com o povo e que caminha com seu povo”.

A articuladora da Diocese de Humaitá no Regional Noroeste, Maria do Carmo, afirma que a Diocese vem de uma longa caminhada de preparação desde o final do 13º Intereclesial para participar do 14º com animação, entusiasmo e refletindo nas comunidades, visando preparação para este momento especial, que é o mini-Intereclesial de Lábrea.

AMPLIADA NACIONAL

  • A Ampliada Nacional é quem decide qual pode ser o rumo a seguir nas CEBs do Brasil. Nos encontros periódicos, quem faz parte dessa Ampliada, vai ajudando que as comunidades eclesiais de base encontrem o jeito de fazer presente a utopia do Reino na sociedade atual.

O intereclesial Nacional será realizado de 23 a 27 de janeiro de 2018 na cidade paranaense de Londrina.

Por: Antonio da Encarnação / Observatório Diocesano

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Jornal de Humaitá

Deixe uma resposta

Check Also

O Natal, crise de ansiedade e depressão

Você sabia que aumenta a incidência de casos de crise de ansiedade ou mesmo de depressão c…