O Ministério Público Federal (MPF) extinguiu a Ação Civil que movia desde maio do ano passado contra o Estado do Amazonas relativa à Lei da Transparência. Em audiência realizada na 1º Vara Federal do Amazonas, o juiz Federal substituto, Liconln Rossi da Silva, acolheu o pedido de extinção do processo feito pelo Procurador da República, Carlos Augusto Guarilha.

“É um avanço para o Estado do Amazonas no que se refere ao cumprimento da Lei da Transparência”, afirma o controlador-geral do Estado, Alessandro Moreira Silva. De acordo com ele, o MPF constatou, em avaliação posterior ao processo, que os itens apontados na ação estavam sendo cumpridos pelo Governo dentro do que rege a Lei Complementar 131, também conhecida como Lei da Transparência. A lei brasileira, sancionada em 2009, determina que estejam disponíveis, em tempo real, informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

No texto do documento da Ata de Conciliação o juiz deliberou: "acolho o pedido ministerial e julgo extinto o processo sem resolução do mérito, nos termos do art. 485 dp CPC/2015". Ainda segundo o documento, "os dois itens avaliados negativamente na verdade efetivamente constavam no Portal da Transparência".

O Estado, segundo o controlador-geral, tem se destacado dentro do cumprimento da Lei da Transparência e da Lei de Acesso à Informação (LAI) – Lei nº 12.527/11. A LAI regulamenta o direito constitucional de acesso às informações públicas. Essa norma entrou em vigor em 16 de maio de 2012 e criou mecanismos que possibilitam, a qualquer pessoa, física ou jurídica, sem necessidade de apresentar motivo, o recebimento de informações públicas dos órgãos e entidades.

Avaliação – O Estado, de acordo com Alessandro Moreira, é o terceiro que mais avançou na transparência, segundo a 3ª edição da Escala Brasil Transparente (EBT), que ranqueia os Estados e Municípios que mais cumprem a LAI.

Em 2016, o Amazonas obteve a nota 8,88 na EBT. Com esse resultado, o Amazonas aparece como o terceiro que mais avançou em transparência pública em 2016, com um crescimento de +7,49 se comparado a 2ª edição. Apenas duas unidades da federação cresceram mais, o Mato Grosso e Sergipe. Para Alessandro Moreira Silva, o Governo tem priorizado a transparência do Estado cumprindo todas as exigências da Lei de Acesso à Informação.

Sobre a EBT – A EBT mede a transparência pública em estados e municípios brasileiros. A metodologia foi desenvolvida para subsidiar o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) nas suas competências.

FOTOS: Valdo Leão

Legenda: Controlador Geral do Estado Alessandro Moreira da Silva

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Jornal de Humaitá

Leia mais

Segurança na Cirurgia Plástica

Muita gente pensa em fazer uma cirurgia plásticapara aumentar os seios, corrigir um defeit…