Cultura

​​​​​​​​​​​​​​​​​I Mostra de Matemática e Ciências da Natureza desperta o interesse e a curiosidade dos alunos da E.E. Maria Amélia do Espírito Santo

​​​​​​​​​​​​​​​​​I Mostra de Matemática e Ciências da Natureza desperta o interesse e a curiosidade dos alunos da E.E. Maria Amélia do Espírito Santo

A Escola Estadual Maria Amélia do Espírito Santo, no Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus, realizou na última sexta-feira, 22, a I Mostra de Matemática e Ciências da Natureza, com a temática “Interação e evolução da matemática e das ciências da natureza nas mais diversas áreas do conhecimento”. O evento, apoiado pela Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC), abordou seis temas com as turmas da 1ª, 2ª, e 3ª séries do Ensino Médio, sob a coordenação e orientação dos professores de biologia, química, matemática e física.
O objetivo da mostra foi integrar os conhecimentos por meio da interdisciplinaridade e contextualização. As turmas trabalharam com os temas: Túnel do tempo da ciência (1ª série 1); Jogos matemáticos (1ª série 2); A importância da química, física, biologia e matemática no campo da medicina (2ª série 1); O universo (2ª série 2); A química da perfumaria (3ª série 1); e Fontes de energia renováveis e não renováveis.

Dentre as apresentações do trabalhos deu para observar o empenho em entregar aos professores avaliadores um bom trabalho, além da ornamentação e apresentação foram os destaques de todas as turmas. Os alunos criaram perfumes, encenaram como seria um erro médico na dosagem dos medicamentos por falta de atenção, criaram um túnel bem elaborado, soltaram confetes simbolizando a explosão do Big Bang, mostraram a forma certa de se brincar com jogos matemáticos mais complexos, entre outros.

A gestora da escola, Jane Maria Soares Rocha, 55, ficou satisfeita em ver o empenho dos alunos na realização dos trabalhos. “É gratificante você verificar que tem o nosso trabalho, o trabalho de um todo, então, ao término da apresentação dos alunos do turno matutino, eu visitei todos os stands e não tem nenhum que eu não tenha gostado. Eu acredito neles, eu acredito nesses alunos e eu sei que o futuro dele será bem maior e através desse trabalho eles podem mostrar o companheirismo, a solidariedade o trabalho em equipe. Eles mostraram que podem ir muito além do que imaginam”, acredita a gestora.

A estudante da 2ª série 2 do Ensino Médio, Júlia dos Santos Pereira, 16, apresentou o tema sobre o Universo e destacou sobre o aprendizado que teve junto à turma na elaboração do tema. “Aprendi bastante em relação ao nosso lugar no planeta e a ordem dos planetas em si, sobre o buraco negro, porque tem muitas coisas que a gente, às vezes aprende na escola, que se formos pesquisar a fundo, descobre que tem muito mais sobre aquilo. Essa foi para mim a experiência mais interessante, pois a gente se diverte aprendendo”, afirmou Júlia.

A professora que trabalhou mais efetivamente com a turma da 2ª série 2 foi da disciplina de química, Cristiany Marques Anselmo, 40, que descreveu como “nervoso e tenso” o resultado que os alunos apresentaram sob a orientação. “Eu acho que eles atenderam a expectativa e aprenderam direitinho tudo o que a gente repassou para eles, eu me sinto feliz e orgulhosa por ter orientado, ter dado ideias e ter sido indicada por eles”, revelou a professora.

A equipe pedagógica de professores que apoiaram os alunos nas pesquisas era formada pelos professores Maricelia Oliveira de Sousa (biologia); Cristiany Marques Anselmo (química); Willian Motta de Oliveira (matemática); e Wilguem Torres da Silva (física), cada um desempenhando seu papel na atuação das suas áreas. Algumas turmas tiveram a possibilidade de trabalhar com mais de um professor ao mesmo tempo, porque o seu tema permitia uma maior abrangência nas áreas do conhecimento.

A aluna do 2º ano 1, Thaíssa de Sousa Bezerra, 15, participou de três edições de outras mostras e contou como se sente e o que aprendeu. “Eu consegui aprender muito sobre dosagem, porque a nossa apresentação sobre biologia, que atua na área de saúde nos hospitais, e o que elas causam se forem administradas de maneira errada. Então isso nos faz pensar muito bem na hora de tomar decisões, essa mostra foi muito boa e eu não vou esquecer porque eu me diverti e quando a gente se diverte, aprende mais”, declarou Thaíssa.

A professora de biologia Maricelia Oliveira de Sousa, 47 foi orientadora da turma e acredita que os alunos se dedicaram e que foi tranquilo trabalhar coma turma, “Isso favorece o conhecimento mais amplo, eu me sinto agradecida por ter participado junto com eles e agradecida. Eu acredito que eles aprenderam bastante”, disse a professora

 

Comentários

Comentários

Cultura

More in Cultura

Expohuma 2017 terá Bruno & Barreto e mais outros shows em Humaitá-AM

Jornal de Humaitá26 de setembro de 2017

Paola Castro se prepara para festival de dança no próximo fim de semana

André Gomes18 de setembro de 2017

Festival de Verão de Maués termina superando expectativas

Jornal de Humaitá10 de setembro de 2017

Fotos: 27ª Festa do Sol em Lábrea-AM

jornal de Humaitá5 de setembro de 2017

Semana da Pátria inicia com a Corrida e a Benção do Fogo Simbólico

Jornal de Humaitá1 de setembro de 2017

Quadrilha Mocidade vai falar sobre ‘Pantanal’ no Festival Folclórico de Humaitá-AM

Jornal de Humaitá29 de julho de 2017

Começa nesta sexta-feira (28) a maior festa cultural do sul do Amazonas

jornal de Humaitá28 de julho de 2017

4°Arraiá do Pelotão Mirim: Dança Despacito

Jornal de Humaitá1 de julho de 2017

Centro de Comando e Controle do Sistema de Segurança começa a operar em Parintins

Jornal de Humaitá1 de julho de 2017