Tradições lusitanas são encontradas em diversos pontos e atraem público; a cidade de São Roque, a 60 km da capital, é um dos destaques

Quem caminha por entre as videiras ao som do fado em uma tarde de domingo, com um clima serrano, de temperaturas mais amenas, pode até ter a impressão de estar em Portugal. Na verdade, estamos falando de São Roque, a apenas 60 km da capital paulista. As tradições e a culinária lusitanas são cultuadas por lá e vêm atraindo cada vez mais turistas.

Essa atração pode ser explicada pelo destaque que a cultura lusitana vem ganhando na televisão brasileira. Novelas como “Novo Mundo” que conta de forma bem humorada a história do Brasil na época de Dom Pedro, “Tempo de Amar”, que ainda nem estreou, e a minissérie “Filhos da Pátria” mostram um interesse crescente pelas nossas raízes em Portugal.

Nossos laços com os portugueses são antigos e fazem parte da nossa identidade. Desde a chegada dos primeiros lusitanos há cinco séculos atrás, nossa cultura e gastronomia passaram a ser influenciadas por tradições que perpetuaram em solo português, como a festa junina, o consumo do bacalhau, entre muitos outros.

Esta presença significativa da colônia portuguesa, principalmente no Estado de São Paulo, tem origem na formação do estado. A Capitania de São Paulo era habitada, em sua maioria, por colonos portugueses, indígenas e, posteriormente, por escravos africanos. A cidade de São Paulo chegou a ser considerada a maior cidade portuguesa fora de Portugal, devido à grande presença de portugueses.

E a presença da colônia portuguesa rompeu fronteiras. Diversas famílias lusitanas se mudaram para o interior do Estado buscando novas oportunidades e transformaram a cultura das cidades.

São Roque, a terra do Vinho

Não é por acaso que São Roque é chamada de “A terra do Vinho”. A presença da colônia portuguesa é grande na cidade e tem grande impacto no turismo. A região possui diversos restaurantes portugueses que desenvolvem ações para a manutenção da cultura lusitana.

A adega e restaurante Quinta do Olivardo é uma delas. A casa realiza um trabalho de preservação das tradições portuguesas, especialmente da região da Ilha da Madeira, promovendo eventos tradicionais, como a festa de São Martinho, o Festival da Sardinha na Caçada e a Pisa da Uva. Também oferece bebidas de qualidade, servidas no clima tradicional, como o ‘Vinho dos Mortos’. Para fechar o ciclo, a casa resgata receitas seculares, como a Espetada Madeirense, Leitão à Bairrada e pastel de natas – produzidos e assados na frente do cliente -, entre outras delícias que fazem da gastronomia lusitana uma das sete maravilhas do mundo.

A Quinta do Olivardo também promove periodicamente apresentações artísticas com a participação de diversos fadistas que interpretam sucessos acompanhados de violão e viola portuguesa, que emocionam o público.

Vinho dos Mortos

A tradição de enterrar as garrafas de vinho, o chamado Vinho dos Mortos, surgiu em 1807, em meio à Guerra Peninsular, durante a invasão das tropas francesas em Trás os Montes e Beira Alta, Portugal. Conta a história que os invasores saqueavam as vilas, levando os alimentos e as bebidas e, para evitar o saque, algumas famílias passaram a enterrar sua produção de vinhos entre as pastagens, plantações e debaixo das adegas. Porém, o que ninguém imaginava é que isso pudesse interferir no sabor, deixando a bebida ainda mais saborosa.

Reconhecimento

O Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo reconheceu o trabalho desenvolvido pelo empresário Olivardo Saqui, proprietário da casa, em prol da cultura portuguesa. Para o fundador da Quinta do Olivardo, a homenagem recebida demonstra a importância da divulgação da cultura desses dois povos. “As relações seculares entre Brasil e Portugal se sobrepõem ao simples caráter de amizade e respeito, comumente atribuído à história em comum de dois países. Considero de total importância o fato de o país ter sido colonizado pelos portugueses, que deixaram como seu principal legado o idioma e as tradições que são mantidas vivas até hoje”, frisa.

OS2 Comunicação

Jornalista responsável: Thaís da Silveira

Atendimento: Camila Pedroso

Telefones: (15) 3318-1922 e (15) 99722-5506

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Jornal de Humaitá
Comments are closed.

Leia mais

Saiba como prevenir seus eletroeletrônicos dos danos causados pelas fortes chuvas

São Paulo, novembro de 2017 – Basta o Verão se aproximar para voltar a preocupação c…