Inspirado pelo Dia Mundial da Diabetes (14/11), especialista esclarece as principais dúvidas sobre a importância de manter alimentação balanceada no tratamento da doença

Lembrado na próxima terça-feira (14/11), o Dia Mundial da Diabetes existe desde 1991 e procura alertar para crescimento de casos no mundo – só no Brasil, cresceram 61,8% nos últimos dez anos. Quem convive com a doença sabe da importância da alimentação para o controle da taxa de açúcar no sangue e para uma melhor qualidade de vida.

Segundo o nutrólogo Oswalmir Sá, da clínica Corpometria, no tratamento, o uso de medicamento, apesar de essencial, é tão importante como seguir uma dieta específica e balanceada. “No controle do diabetes é importante ter constância na alimentação, manter uma dieta mista e acompanhada por nutricionista, inclusive nos fins de semana, sem exagerar com produtos industrializados, e optar sempre por alimentos in natura ou pouco industrializados”, esclarece.

O médico alerta também para alguns erros comuns cometidos por quem convive com a doença. Dentre eles, trocar produtos naturais por industrializados como os lights e diets; ficar sem se alimentar por muito tempo e depois fazer grandes refeições; e o consumo exagerado de frutas podem prejudicar no tratamento, pois afetam diretamente no controle glicêmico do organismo.

Para os diabéticos que querem melhorar a convivência com a doença, o nutrólogo sugere uma lista com alguns alimentos que não podem faltar:

Feijões – carioca, preto, branco. Contêm diversas vitaminas e minerais como magnésio e potássio, além de fibras. Mesmo contendo carboidratos, os feijões têm muitas proteínas.

Vegetais de folhas escuras – espinafre, brócolis e couve têm vitaminas A, C, E e K, além de ferro, cálcio e potássio. Possuem baixa quantidade de calorias e carboidratos.

Frutas cítricas – laranja, limão, lima, mexerica e outras. Essas frutas, se comidas com bagaço, têm grande quantidade de fibras, além de vitamina C e potássio.

Batata-doce – o carboidrato da batata-doce é de baixo índice glicêmico (não sobe muito rápido o açúcar no sangue), além disso pode ser usada para tentar enganar o desejo de comer doces.

Cerejas e morangos – possuem antioxidantes que combatem o envelhecimento, vitaminas e minerais.

Tomate – é fonte de vitamina C e E. Possuem potássio, além dos antioxidantes que aumentam ou diminuem conforme a forma de preparo.

Peixes com ácidos graxos Ômega 3 – salmão, sardinha, truta e atum. A gordura ômega 3 pode ajudar a reduzir o risco de doenças cardíacas e inflamações. A American Diabetes Association recomenda a ingestão desses tipos de peixes no mínimo duas vezes por semana.

Castanhas – um punhado de castanhas pode nos prover uma boa quantidade de gorduras boas e diminuir a fome. Além disso, possuem magnésio e fibras. Algumas castanhas e sementes como chia e linhaça ainda possuem ômega 3.

Cereais integrais – apenas aqueles que são 100% integrais como aveia, quinoa, farinhas integrais e amaranto. Estes produtos são fontes de magnésio, vitaminas do complexo B, cromo, ferro e folato e são grandes fontes de fibras.

Leite e iogurte – São fontes de cálcio e proteínas. Normalmente opte por leites e iogurtes mais magros e sem adição de açúcar.

Marcela Brito: (61) 9 8246-4469
Escritório: (61) 3365-1379
imprensa@grupobjetiva.com

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Brasil
Comments are closed.

Leia mais

Técnicos da Susam percorrem municípios, implementando as ações do plano de reconstrução da rede de saúde no interior

Os técnicos da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) já completaram este mês 18 municípios…