PM português elege ex-presidente da Câmara de Lisboa como novo ministro das Finanças | WKZO | Tudo é Kalamazoo

Por Sérgio Concalves

Lisboa (Reuters) – O primeiro-ministro de Portugal, Antonio Costa, escolheu o ex-prefeito de Lisboa Fernando Medina como seu novo ministro das Finanças para trabalhar na redução do déficit orçamentário, obscurecendo as perspectivas de uma recuperação pós-guerra na Ucrânia.

Medina, de 49 anos, foi nomeado para substituir João Leão, que faz parte do governo socialista minoritário de Costa desde meados de 2020. Desta vez, o novo governo tomará posse no dia 30 de março com o apoio da maioria parlamentar do partido.

O presidente disse quarta-feira que foi um dos 17 ministros do governo indicados por Costa e aceitos pelo presidente Marcelo Rebello de Sousa.

O conhecido economista sucedeu Costa como prefeito da capital em abril de 2015, e permaneceu no cargo até sua derrota nas eleições municipais de setembro passado.

O último ano de seu mandato foi marcado pelo que ele descreveu como um “erro burocrático” que levou ao compartilhamento das prefeituras de protestos por manifestantes do lado de fora de várias embaixadas, incluindo Rússia, Cuba e Israel.

Antes de 2011, Medina administrava fundos da UE ao Ministério da Indústria e Desenvolvimento.

Filipe Garcia, responsável pelos consultores da Informação de Mercados Financeiros, disse que Costa fez uma escolha prudente ao nomear Medina, que tem mais perfil político do que os seus dois técnicos, mas também sólidas provas administrativas.

“O Medina Lisboa tem mantido as contas municipais sob controlo e está em linha com a política monetária europeia”, disse. Ele acrescentou que sua tarefa de manter as contas públicas estáveis ​​no ambiente externo adverso de guerra e recuperação fraca na Ucrânia não seria “fácil”.

READ  Covit-19: Comunicado Semanal de Portugal - Portugal News

Ele é casado com Medina, que toca piano, e tem dois filhos e uma filha.

Antonio Costa e Silva, que criou o plano de recuperação epidêmica de Portugal para usar 16,6 bilhões de euros (18,26 bilhões de dólares) em fundos da UE, será o próximo ministro da Economia. O ex-embaixador da UE no Brasil e ministro da Defesa João Gomez Gravinho assumirá o cargo de ministro das Relações Exteriores.

($ 1 = 0,9088 euros)

(Reportagem de Sergio Concalves; Edição de Andre Calif., Leslie Adler e Richard Chang)

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Jornal de Humaitá