Ucranianos rezam pela paz em Portugal com milhares no início da guerra | WKZO | Tudo é Kalamazoo

Por Catarina Demony e Miguel Pereira

Fátima, Portugal (Reuters) – Armada com uma vela e uma bandeira azul e amarela, a ucraniana Karina Podomkina orou pela paz com dezenas de milhares de crentes em Portugal na noite de quinta-feira. .

Bodomkina, 42 anos, que emigrou para Lisboa da cidade ucraniana de Vinnitsia há duas décadas, e cerca de 200 mil pessoas reuniram-se na Igreja de Fátima, um dos mais famosos santuários da religião católica.

O evento anual foi a primeira de três visões da Virgem Maria, também conhecida como Nossa Senhora, há 100 anos. Mas muitos, como Podomkina, aproveitaram a oportunidade para instar a Rússia a encerrar sua ocupação da Ucrânia.

“Este é realmente um lugar onde as pessoas podem pedir paz, podemos rezar pelos perdidos e… pelo fim desta guerra para a qual não há explicação”, disse Podomkina com lágrimas nos olhos enquanto içava uma bandeira ucraniana. sobre uma cerca. Um dos portugueses.

Sua mãe, avó e irmãos voltaram para casa na Ucrânia. Alguns de seus parentes são médicos e enfermeiros e se recusaram a sair e estão ficando para ajudar os necessitados.

Em 24 de fevereiro, a Rússia enviou dezenas de milhares de soldados para a Ucrânia, chamando-a de “operação especial” para desmantelar suas capacidades militares e desviar o que chama de nacionalistas perigosos. Milhares foram mortos e mais de 5 milhões de pessoas – principalmente mulheres, crianças e idosos – estão sendo forçados a fugir.

Enquanto esperava o início da procissão à luz de velas, Potomkina disse: “É muito difícil”.

A Igreja Católica Romana ensina que em 1917 a Virgem Maria apareceu a três crianças portuguesas, que era então uma pobre aldeia agrícola. Acredita-se que ele deu às crianças três mensagens chamadas segredos de Fátima.

READ  2022 NFL Playoff Image: 49 pessoas roubam uma vaga, Steelers provavelmente entrará e Golds será eliminado após a Wild Week 18

O Papa Francisco canonizou dois de seus filhos pastorais de 2017.

Na reunião, a aposentada Fátima Sambayo, de 70 anos, carregava uma vela.

“Eu fui flexível, muito emotiva”, disse ela enquanto lutava para conter as lágrimas, “estou aqui para agradecer a nossa senhora (depois de Kovit-19) por ser tão boa (depois de Kovit-19)… peça a ela, acima de tudo. , Pela paz: paz na Europa, paz para todos. ”

(Relatado por Katrina Demoni, Miguel Pereira e Pedro Nunes em Fátima; Lincoln Feast Editing.)

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Jornal de Humaitá