Risco de Portugal face à Alemanha cai 30%

O risco de Portugal emprestar contra a Alemanha é agora um terço menor do que há seis meses. De acordo com um relatório ECOOs dados são apresentados pela evolução do spread médio das yields dos títulos do Tesouro dos dois países ao longo da curva de yields.

Há seis meses, o governo português dependia de um custo médio de 1,58 por cento para financiar o mercado internacional, mais do dobro do que os investidores pediam ao governo alemão, e hoje essa diferença diminuiu para 34 por cento. Subida mais pronunciada das yields das obrigações alemãs (Bunds) face às obrigações portuguesas.

Em julho, quando Banco Central Europeu (BCE) elevou as principais taxas de juros do euro pela primeira vez desde 2011, com os títulos do Tesouro de 10 anos de Portugal sendo negociados a um rendimento de 2,21 por cento e 3,05 por cento hoje.

O título de 10 anos foi negociado a 1,28 por cento em julho e agora está em 2,19 por cento. Dito isso, o spread entre os rendimentos dos títulos de 10 anos dos dois países diminuiu 26% nos últimos seis meses, de 117,4 pontos-base em julho para 87 pontos-base nesta terça-feira.

Esta evolução revela que a perceção de risco dos investidores no crédito ao governo português é hoje menor do que há seis meses, em detrimento do governo alemão. Isso é particularmente relevante quando se observa que o yield spread dos títulos do Tesouro francês, por exemplo, diminuiu para apenas 13% – e até aumentou 1% no caso dos títulos espanhóis. difusão.

Apenas a Itália segue o declínio do risco dos títulos nacionais em toda a linha da curva de rendimentos, registrando uma queda de 31% no spread médio dos rendimentos dos títulos do Tesouro.

READ  ECConcrete e Etermar estão a ter sucesso em Portugal

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Jornal de Humaitá