Situação em Beja “melhorou”, mas perdas foram “irreversíveis”

O responsável da ACOS – Associação de Agriculturalores do Sul – disse que a situação da seca no distrito de Beja foi “ligeiramente melhorada” pelas chuvas registadas no início da Primavera, mas os danos ocorridos anteriormente eram “irreversíveis”.

“Está claro que melhorou um pouco. Existem até zonas na zona sul do distrito de Beja.

No entanto, continuou: “Quando chovia, os danos já causados ​​pelas pastagens/forragens, ou grãos, ou oleaginosas de outono/inverno, como a colza, eram irreversíveis”.

Não chove o suficiente

Segundo Rui Carito, “a temperatura não é demasiado elevada para melhorar a situação de seca no distrito de Beja”, mas “as chuvas não são suficientes para alterar as pastagens”.

Por isso, lamentou que “os agricultores continuem a alimentar o seu gado e a comprar rações com as forragens e palhas conservadas que têm”, o que é “muito alto” e “mais uma vez” susceptível de perder o mercado.

Rui Garrido disse que os agricultores e a ACOS querem que a ministra da Agricultura, Maria Do Chiu Antoine, “ouça os agricultores”.

READ  Viajar para Portugal durante o Governo-19: O que precisa de saber antes de ir

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Jornal de Humaitá